Vício de masturbação – O que é isso?
O vício de masturbação é a necessidade compulsiva de se masturbar. 

A necessidade torna-se tão grande que o viciado não tem o poder de ficar sem se masturbar. Esse desejo dominador é a base para a maioria dos vícios sexuais. 
A necessidade de ver pornografia geralmente é um precursor da masturbação. As formas mais avançadas de vício sexual, tais como: ter casos extraconjugais, sexo com prostitutas, ou outras atividades ilegais, geralmente têm seu início em masturbação. Esse vício é conhecido como um vício "comportamental", ao contrário do vício de alguma substância como a droga ou álcool. Em um vício comportamental, o sentimento de euforia surge de químicos liberados no cérebro, ao invés de uma fonte externa. À medida que a mente fica acostumada com a liberação desses químicos, ela passa a procurar por outras fontes para dar continuidade à euforia.

Na superfície, a masturbação parece ser inofensiva. Afinal, é só sexo com você mesmo. Mas há mais envolvido do que pode ser enxergado à primeira vista. Já que somos seres de três partes - corpo, alma e espírito - masturbação nos afeta fisicamente, emocionalmente e espiritualmente. Antes de avaliarmos os efeitos negativos da masturbação, quero garantir que são reais e que eu tenho provado dessas consequências na minha própria vida.

Vício de Masturbação - Aspectos Físicos
Como mencionado acima, o "clímax" do vício da masturbação surge da grande quantidade de químicos que são liberados pelo cérebro durante o orgasmo. Como o cérebro começa a desejar por este "alto", o viciado treina a si mesmo a alcançar o clímax mais rápido e mais frequente. Além disso, o viciado torna-se acostumado às sensações da masturbação, às vezes ao ponto de não se satisfazer com a atividade sexual "normal". Woody Allen fez um comentário em um de seus filmes: "Eu sou bom em sexo porque eu o pratico muito quando estou sozinho". Enquanto de primeira esse comentário talvez seja até engraçado, ele ressalta o problema físico com a masturbação. Ao praticar a masturbação, o viciado se acostuma a se satisfazer com experiências breves e intensas, com um clímax bem rápido. Infelizmente, isso não é muito gratificante para o cônjuge em uma relação sexual.
Vício de masturbação – Aspectos emocionais e espirituais
Masturbação, pela sua própria natureza, é um ato egoísta. Uma vez que você está tendo relações sexuais com você mesmo, não há necessidade de agradar a ninguém. A natureza emocional tende a seguir o mesmo rumo. Como o sexo torna-se pouco mais do que uma outra forma de você satisfazer suas próprias necessidades físicas, a tendência é ignorar as necessidades emocionais de sua esposa também. Ela torna-se nada mais que um objeto para sua satisfação sexual. No meu próprio casamento, esta situação chegou ao ponto de eu não precisar da minha esposa fisicamente ou emocionalmente, por isso comecei a me desligar completamente dela. Isto levou à separação e divórcio após 13 anos de casamento.

Muitas pessoas são rápidas para salientar que masturbação não é especificamente mencionada na Bíblia, então não deve haver nada de errado com essa prática. Há quem aponte para a história da Onã em Gênesis 38:8-10 como um exemplo de masturbação sendo condenado na Bíblia. Contudo, no contexto, pode-se argumentar que a perversidade de Onã decorreu da sua recusa em fornecer um herdeiro ao seu falecido irmão. A declaração radical de Jesus em Mateus 5:28 mostrou a natureza pecaminosa da masturbação: "Eu, porém, vos digo, que qualquer que atentar numa mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela". Já que masturbação é quase sempre acompanhada por pensamentos de lascívia, podemos concluir, pelas palavras de Jesus, que masturbação é o mesmo que o adultério, o qual é definitivamente um pecado.
Vício de masturbação - Como posso saber se estou viciado?
A maneira mais fácil de saber se você tem um vício de masturbação seria tentar parar. Tente abster-se de masturbação, ou de qualquer outra forma de sexo fora do casamento, durante 30 dias. Se você for capaz de passar tanto tempo sem se masturbar em sua primeira tentativa, você provavelmente não é um viciado. No entanto, você pode querer considerar abandonar o hábito de qualquer maneira para o bem de seu relacionamento. Se, como eu, você se encontra sendo incapaz de passar mais do que dois ou três dias, você provavelmente tem um vício. Já que a masturbação afeta o corpo, alma e espírito, a recuperação tem que ocorrer em todas essas três áreas. A recuperação física envolve abstinência. Já nos referimos ao fato de que esta é uma coisa difícil ou impossível de alcançarmos com nossas próprias forças. Então, precisamos do apoio emocional que surge quando temos que prestar contas a alguém. Isto poderia incluir aconselhamento com um conselheiro cristão experiente em questões de vícios sexuais ou passar a fazer parte de um grupo de suporte online para os pecados sexuais. Isto pode ser um passo assustador, já que o vício de masturbação tende a ser um pecado secreto, e há um sentimento de vergonha em admitir esta luta. Além disso, esse sentimento de vergonha também pode nos impedir de pedir perdão ao Único que oferece perdão livremente. No entanto, essa cura e renovação espirituais são uma parte crítica do processo de recuperação.


Vício sexual – Como posso saber se estou viciado?




Vício sexual – Como posso saber se estou viciado?
Questionário do vício sexual: responda às perguntas a seguir sobre si mesmo e seja completamente honesto:


  • Você se masturba frequentemente, ou percebe que a frequência está aumentando?

  • Você frequenta páginas pornogáficas na internet ou clubes noturnos?

  • Você sente a tentação de visitar sites pornográficos toda vez que está navegando na internet, mesmo quando essa não era sua intenção original?

  • Você precisa olhar para pornografia antes de ter relações sexuais com sua esposa?

  • Você já teve um romance fora do casamento?


Se você respondeu sim a pelo menos uma dessas perguntas, isso pode indicar o início de um vício sexual. Por favor também responda às perguntas a seguir:

  • Você se masturba pelo menos três vezes por dia?


  • Você já teve vários romances fora do casamento?

  • Você usa os serviços de prostitutas?

  • Você participa de atividade sexual pela qual você poderia ser preso?

  • Você já tentou parar algum dos comportamentos do primeiro grupo de perguntas e percebe que você não pode parar por muito tempo?

  • Você tem uma parte de sua vida sexual que é um segredo de todas as pessoas que são próximas a você?


Se você respondeu sim a pelo menos uma das perguntas acima, então você provavelmente está viciado em sexo. A boa notícia é que há assistência disponível para ajudá-lo a se libertar da escravidão a esse vício.
Vício sexual – OK, sou viciado, e agora?
Com o vício sexual, a coisa mais importante é buscar ajuda. Isso é algo para ser levado muito a sério. O vício sexual tende a ser feito em segredo, ou com uma série de parceiros anônimos com quem você não tem qualquer vínculo emocional. Há grande medo e vergonha em deixar alguém saber o que está realmente dentro de você. Esse foi o meu caso. Eu sabia que tinha um problema, e demorou dois anos para que buscasse ajuda. Durante esse tempo, eu tentei várias vezes parar com minhas próprias forças, mas fracassei em todas as minhas tentativas. Eu nunca conseguia passar mais de uma semana sem ver pornografia ou sem me masturbar. Eu posso dizer que até agora, no momento em que escrevo este artigo, eu tenho passado 21 meses de atividade sexual saudável (nenhuma forma de sexo comigo mesmo ou qu
alquer outra pessoa além de minha esposa).